Castanhal dedica Catedral a Santa Maria Mãe de Deus

Vinte e sete de fevereiro de 2011. Uma data histórica para os católicos da Diocese de Santa Maria Mãe de Deus, com sede em Castanhal. Afinal, não é comum termos a chance de testemunhar um acontecimento tão significativo quanto a dedicação de uma Catedral. Os que irão vivenciar este grande dia com certeza não o esquecerão facilmente. Porém, para se preparar esse momento é necessário compreender o que simboliza a dedicação do templo a Deus. Dedicar igrejas é um rito antigo que significa “proclamar solenemente”.

É o momento em que o povo rende graças à Santíssima Trindade por ter um lugar onde é possível encontrar a glória do Senhor. A oração de dedicação tem o objetivo de indicar que a igreja é realmente de Deus, sendo oferecida a Ele. Para Santo Agostinho, “nós não erigimos altares aos mártires para oferecer-lhes sacrifícios, mas ao Deus único, Deus dos mártires e nosso”.

Assim, a Catedral é convertida em casa de Deus, não formada de pedras, mas de pessoas. É um “” “templo vivo”. O Papa João Paulo II, por ocasião da consagração da Catedral de Almudena, na Espanha, afirmou que “vemos a figura e contemplamos a realidade: vemos o templo e contemplamos a Igreja. Olhamos o edifício e penetramos no mistério. Porque este edifício nos revela, com beleza de seus símbolos, o mistério de Cristo e de sua Igreja. E olhando para nós mesmos podemos dizer com São Paulo: “Sois o edifício de Deus… O templo de Deus é santo: esse templo são vocês (1Cor 3, 9.17).”.

PREPARAÇÃO

Para que os fiéis diocesanos se preparem espiritualmente para o dia da dedicação, um subsídio de nove encontros foi preparado. Pequenos grupos espalhados pelas 31 paróquias que constituem a Diocese de Santa Maria Mãe de Deus se reúnem para meditar sobre a dedicação da Catedral, seu significado, sentido e importância. Dom Carlos Verzeletti, bispo diocesano, explica que “são pessoas que estão lendo, estudando, refletindo, rezando. Todas as pastorais tiveram oportunidade de refletir sobre a missão própria da Igreja e como a Igreja deve corresponder também aos anseios de Nosso Senhor Jesus Cristo”. De 21 a 24, das 19h30 às 20h15, na Catedral, quatro noites de retiro espiritual também ajudaram na preparação dos católicos de 25 municípios.

Em Salinas, a coordenadora do Setor Juventude, Joziane Lisboa, afirma está ansiosa para “viver o momento”. “Estamos nos preparando e compreendendo que nós fazemos parte desta construção da Catedral. A Catedral é formada pelo seu povo, que deve está em sintonia com ela. Com os encontros estamos conhecendo os momentos que iremos ver no dia da dedicação”. Sessenta salinenses participarão da celebração.

Para Dom Carlos, “a Igreja de Castanhal, que é a noiva, olha para o seu amado, seu Senhor, que é Jesus Cristo. Em lugar de a noiva olhar para si, queremos que nestes últimos dias a Igreja olhe para Jesus Cristo. Nós entendemos o que somos como Igreja quando, olhando para Jesus, descobrimos quanto é grande seu amor por nós, que somos a sua Igreja. Nós temos uma visão bonita da Igreja quando a olhamos com o olhar de Jesus e, olhando para Ele, olhamos para o nosso ser Igreja”.

FONTE: VOZ DE NAZARÉ

1 Comentário Quero comentar

  • Dentro de minha vida religiosa ainda não tinha visto uma dedicação de uma Diocese. E a graça de Deus me concede de presenciar (pessoalmente) a dedicação da Diocese da qual eu faço parte. É um marco histórico para o povo católico do nosso munícipio. Obrigado, Senhor! Obrigado, Maria! Um casamento mais que perfeito, uma obra de Deus aos nossos olhos.

    Comentário por Luís Augusto — 1 de dezembro de 2011 @ 18:18

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário



Sobre o autor

OSDB

A equipe de administração do site da Diocese de Bragança está procurando tornar cada vez menlhor e mais fácil a sua navegação pelo site.

E-mail Site Mais

Publicidade

Dados desta matéria